Como preparar um cronograma de execução de obra

Vamos ser sinceros: atrasos em entregas de obras são mais comuns do que gostaríamos. Dentre os diversos “imprevistos” que podem influenciar no andamento de uma obra, como as intempéries ou incidentes.

A verdade é que a grande maioria dos atrasos em obras hoje, pode ser evitado com o desenvolvimento de um bom cronograma.

Isso porque um cronograma completo é a melhor forma de garantir o atendimento dos prazos, controle financeiro, programação das compras, gestão da mão de obra e prevenção de interferências entre as atividades.

Um cronograma, nada mais é do que um mapa do tempo, no qual consta as atividades do projeto que serão executadas ao longo dos dias, semanas e/ou meses.

Através dele é possível verificar a sequência correta da obra e, consequentemente, garantir a entrega no prazo esperado.

Mas como garantir a elaboração de um cronograma de qualidade?

1. Listar as atividades a serem executadas

Ao iniciar um cronograma de obra, é essencial fazer um levantamento bem detalhado de todas as atividades que serão executadas no decorrer da obra.

Atenção: não esqueça das subtarefas!

Por exemplo, ao invés de incluir apenas “assentamento de piso”, deve-se listar os prazos para execução e entrega de suas subtarefas, como o contrapiso, a aplicação do rejunte, a limpeza, etc.

2. Defina a duração de cada atividade

Cada atividade deve ter um cálculo de duração bem delimitado para evitar erros básicos como:

a. estabelecer um tempo menor do que o necessário para que seja executada, levando a “execução às pressas” e consequentemente, serviço de má qualidade.

b. demorar mais do que o necessário, aumentando os custos com mão-de-obra e locação de equipamentos (quando for o caso).

Para programar a duração de cada etapa, utilize como base, referências de obras semelhantes, avalie a capacidade de produção da equipe que estará envolvida e também a complexidade das atividades.

O correto dimensionamento de equipe, influencia diretamente no cumprimento do cronograma.

Alguns fatores podem interferir no cronograma e atrasar a entrega final da obra, sendo os mais comuns:

a. Influência climática

A influência climática é umas das principais interferências de uma obra. Chuvas em excesso por exemplo, podem comprometer significativamente o prazo de entrega.

Portanto, quando se inicia um projeto, é interessante estudar os períodos de chuva de onde a obra será executada, para evitar possíveis surpresas e assim dimensionar as atividades de uma forma mais realista.

b. Mão de obra

Divergências entre os direitos e obrigações previamente combinados, falta de qualidade nos serviços prestados e problemas pessoais são alguns fatores que não podemos contabilizar previamente.

Logo, a necessidade de demissões e novas contratações também podem interferir no andamento do cronograma.

3. Etapas que podem ser executadas ao mesmo tempo

Na hora de montar um cronograma, também é importante levar em consideração quais atividades de uma mesma obra podem ser desenvolvidas ao mesmo tempo, otimizando tempo e custo.

Em outras palavras, um cronograma bem feito deve incluir os prazos de início e término de cada tarefa, mas isso não significa que elas devem ser executadas isoladamente.

Por exemplo, o fato de uma equipe estar trabalhando o telhado não impede que outra esteja instalando a pia da cozinha.

4. Siga o cronograma da obra à risca

Após acertar os prazos e duração de cada atividade, é imprescindível que o cronograma esteja dentro do canteiro de obras.

Além disso, cada funcionário envolvido com a execução deve ter o conhecimento total do cronograma.

Isso garantirá um maior comprometimento da equipe e até evitará erros básicos decorrentes da sua ausência no canteiro.

Bônus: Não deixe de fiscalizar as atividades

Imprevistos acontecem. Um fornecedor que atrasou uma entrega, um funcionário que precisou se ausentar do trabalho, intempéries e outras adversidades são comuns na construção civil e podem, infelizmente, comprometer o cronograma do projeto.

Por isso, o ideal é que o cronograma seja atualizado periodicamente, avaliando os possíveis atrasos e redimensionando as atividades e equipes.

Hoje existem no mercado inúmeros modelos de cronogramas disponíveis, mas profissionais da área devem estar qualificados para preencher e preparar um cronograma seguindo os passos e recomendações aqui citados.

Afinal, o cronograma de obra é um dos requisitos que um bom gerenciamento de obra possui, garantindo o bom andamento e um prazo justo para a conclusão da obra.

Ficou com alguma dúvida ou quer se aprofundar no tema? Veja os outros textos de nosso Blog.

administracao-e-gerenciamento-de-obras

Deixar um comentário