O que é biomimética?

Quando falamos em como aplicar a natureza a um projeto arquitetônico, as primeiras ideias que vêm à cabeça são o jardim no edifício, as plantas decorativas em vasos ou talvez as vistas para áreas comuns guarnecidas com vegetação. No entanto, existe uma nova “natureza” dentro de um edifício: um conceito denominado biomimética, que significa literalmente imitar a vida.

A construção civil é uma das indústrias com maior impacto ambiental do mundo, sendo que o estudo Gestão de Resíduos na Construção Civil, desenvolvido pelo SENAI em parceria com o SEBRAE, mostra que a construção é responsável por 50% do gás carbônico lançado na atmosfera e por quase metade de todos os resíduos sólidos gerados em escala mundial. Neste sentido, há anos estão sendo desenvolvidas pesquisas e estudos na tendência de utilizar soluções sustentáveis no setor civil, invertendo esta situação – e a biomimética, este conceito que se inspira na natureza, vem ganhando cada vez mais força na indústria de design e construção.

A biomimética na construção não se destina apenas ao design geral, mas também à obtenção de materiais verdes e técnicas de construção inovadoras, sendo uma busca por usar elementos naturais para criar edifícios ecologicamente corretos e tornar nossas construções mais saudáveis ​​e mais acolhedoras. Neste artigo, vamos entender como a biomimética está sendo empregada na construção civil e por que é uma tendência tão forte para o mercado.

Confira a seguir!

Por que a biomimética é uma tendência para o mercado?

O alto uso de energia, o consumo e esgotamento de recursos naturais, e a degradação e poluição ambiental são alguns dos inúmeros impactos da indústria da construção. Eles são rastreáveis ​​às práticas de construção insustentáveis ​​empregadas pela maior parte da indústria de construção globalmente, o que evidencia a necessidade de uma gestão energética eficaz e sustentável.

Com a biomimética, o estudo e a transcrição das formas e processos inteligentes da natureza podem oferecer soluções sustentáveis ​​aos desafios humanos, anunciando uma era com uma nova e ecológica fonte de inspiração para a sociedade. Assim, a gestão da energia biomimética e a sustentabilidade podem ser marcos essenciais para a reinvenção da indústria da construção, em que tecnologia, política e educação são as principais áreas onde a biomimética busca abordar de forma sustentável os desafios de energia.

Com o aumento da conscientização a respeito destas influências negativas proporcionadas pela indústria civil e os impactos a curto e longo prazo que estas práticas nocivas causam no meio ambiente e, consequentemente, no futuro da sociedade, a sustentabilidade já é um ponto central na discussão das soluções utilizadas na construção. Estas mudanças, entretanto, já não são mais apenas relevantes no âmbito técnico, deixando de ser uma preocupação reservada aos construtores para ser um diferencial importante buscado pelos consumidores, que incentivam a construção sustentável e estabelecem o valor de mercado da prática ambiental. Assim, a consciência ambiental da população também tem papel importante no estabelecimento da biomimética e das soluções sustentáveis como uma tendência sólida no mercado da construção.

Como funciona a biomimética na construção civil?

Biomimética se refere a um processo, dispositivo, substância ou sistema feito pelo homem que espelha a natureza. Neste sentido, não existe uma maneira certa ou errada de incorporar elementos naturais como parte da biomimética, o que significa que há muito espaço para experimentar na indústria da construção.

Essencialmente, a natureza serve como o foco central ou inspiração para um design específico. Por exemplo, os arquitetos podem projetar uma estrutura na forma do favo de mel de um ninho de abelhas ou planejar a ventilação de um edifício que se assemelhe ao trabalho do túnel dentro de uma colônia de cupins. Os profissionais da construção sabem que a estrutura em favo de mel é naturalmente estável. Portanto, é uma escolha sábia para os construtores copiar esta técnica do mundo natural.

Em outro exemplo, novas construções em todo o mundo estão usando biomimética para criar telhados e suportes de construção mais fortes. Muitos arquitetos começaram a usar estruturas semelhantes a árvores em seus projetos, que se parecem muito com galhos e oferecem uma durabilidade incrível. Um exemplo deste estilo de design é o Westfield London, um dos maiores centros comerciais da Europa.

No entanto, a biomimética não é apenas fazer as estruturas parecerem com a natureza, mas também pode se referir à construção de produtos que são melhorados ou otimizados por processos naturais. Por exemplo, a madeira compensada pode agora ser fabricada com um aminoácido produzido pelo molusco mexilhão azul. O resultado é um material livre de compostos orgânicos voláteis tóxicos, ou VOCs, sendo uma alternativa muito mais ecológica e saudável.

A verdade é que não existem limites para a aplicação da biomimética na construção civil, e estamos apenas começando a explorar todo o potencial de empregar a inteligência inerente da natureza em nossos processos humanos. Como resultado, podemos diminuir nosso impacto no planeta, conviver em harmonia com a natureza e criar um ambiente mais equilibrado e saudável para todos.

Gostou deste conteúdo? Inscreva-se em nossa newsletter para receber mais artigos como este diretamente em seu email!

Deixe um Comentário